Dar açúcar antes de injeção em bebês pode reduzir a dor, sugere estudo.

15/04/2013

Os pesquisadores analisaram dados de 14 ensaios clínicos randomizados que utilizaram uma solução com sabor doce para tratar a dor causada por injeções em bebês com menos de um ano de idade. No geral, os bebês que provaram a solução doce choraram menos do que os que receberam um placebo, mas foi difícil comparar os estudos por causa de suas variadas metodologias.

Alguns estudos testaram uma solução com o placebo, outras testaram mais de uma solução doce. Outras testaram o açúcar com um anestésico tópico ou com uma distração, como chupar chupeta.

A análise, publicada no periódico The Cochrane Database of Systematic Reviews, concluiu que o açúcar é um anestésico eficaz na redução da quantidade de tempo de choro, mas não houve nenhuma evidência forte sobre qual substância doce funcionou melhor e quais são as concentrações e dosagens ideais. O estudo que testou o açúcar com um anestésico tópico não encontrou nenhuma diferença entre os dois em termos de duração do tempo do choro.

“O efeito do açúcar vai durar apenas cerca de dois minutos, portanto, ele deve ser dado durante a administração da injeção”, disse o autor principal, Manal Kassab, professor assistente da Universidade da Jordânia de Ciência e Tecnologia. “Dar pequenas quantidades de açúcar é uma intervenção muito segura.”

 A razão para o efeito não é clara, mas alguns especialistas sugerem que o açúcar libera opioides naturais, ou que estimular os receptores gustativos leva a uma sensação de conforto.

Novidades | Informações

17/12/2014 | Saiba tudo sobre a doença Celíaca
16/12/2014 | O fumo e a sobrevivência
15/12/2014 | Entenda como funciona o processo da doação de sangue
11/12/2014 | As diferenças entre os sintomas do infarto e do AVC
09/12/2014 | Como o câncer aparece no corpo
08/12/2014 | Desidratação e cuidados
04/12/2014 | Esportes adaptados para deficientes físicos
02/12/2014 | Mitos sobre o teste de HIV
27/11/2014 | Rinite alérgica
25/11/2014 | Queimaduras: risco e prevenção